terça-feira, 27 de outubro de 2009

Aula 40

Esta aula é uma continuação da aula 39

Combine com a líder de história da família para ajudar nesta aula, apresentando os recursos disponiveis na igreja para ajudar na história da família!!!!!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Aula 39

“O Coração dos Filhos Voltar-se-á para Seus Pais”

Professor: Esta aula requer uma preparação de alunos antecipadamente!

domingo, 13 de setembro de 2009

domingo, 6 de setembro de 2009

Legado ............







Estudar:

a. D&C 136:2. (Fazer o “convênio e a promessa de guardar todos os mandamentos e estatutos do Senhor”.) Por que essa instrução era tão importante para os membros da Igreja? Como podemos aplicá-la à nossa viagem?
b. D&C 136:3. (Organizar companhias, sob a direção do Quórum dos Doze Apóstolos, cada uma com um presidente e dois conselheiros, capitães de cem, cinqüenta e dez.) Em que essa organização é semelhante à das alas e estacas?
c. D&C 136:5. (“Que cada companhia providencie todas as (…) coisas que puderem.”) Por que é importante que tentemos ser auto-suficientes?
d. D&C 136:6. (Façam os preparativos “para os que deverão ficar para trás”. )
Que preparativos os membros da Igreja fizeram para as pessoas que ficariam
para trás? (Ver D&C 136:7,9.)
Como essa instrução se aplica a nós?
e. D&C 136:8. (Cuidar dos pobres, das viúvas e dos órfãos.)
Como podemos cumprir essas responsabilidades atualmente?
f. D&C 136:10. (“Que cada homem use toda a sua influência e seus bens para levar
este povo (…) [à] uma estaca de Sião.”)
Como essa instrução é aplicável a nós?


a. D&C 136:19. (“Se qualquer homem procurar elevar-se e não buscar meu conselho, não terá poder.”) Por que era importante que os membros da Igreja tivessem humildade na viagem? Falem de como, às vezes, as pessoas tentam elevar-se. O que podemos fazer para sermos mais perfeitos em buscar a glória do Senhor em vez da nossa?
b. D&C 136:21. (“Guardai-vos do pecado de tomar o nome do Senhor em vão.” Ver também Êxodo 20:7.)
Por que é importante que utilizemos o nome do Senhor com reverência?
c. D&C 136:23–24. (“Cessai de contender uns com os outros; cessai de falar mal uns dos outros. (…) Que vossas palavras contribuam para vossa edificação mútua.”)
De que forma as contendas e a maledicência nos prejudicam como povo?
Como podemos sobrepujar as contendas entre nós?
Como nos podemos edificar mutuamente?
d. D&C 136:25–26. (Devolver o que tomarmos emprestado ou encontrarmos.)
e. D&C 136:27. (“Preservarás diligentemente o que possuis.”)
O que vocês acham que significa ser um “mordomo prudente”?
De que forma a nossa responsabilidade quanto às posses materiais afeta o nosso bem-estar espiritual?


bom estudo....

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Marcadores

 



Gentem olhem que coisa mais linda!!!! Eu amei.... feita por Morian Mahoney, simplesmente adorei!!!!
Já baixei vários outros dele.... http://www.morianmahoney.blogspot.com/

fonte:http://compartilhareumabencao.blogspot.com/
Posted by Picasa

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Casamento Eterno!!!!! lição 31




Os que planejam casar-se no templo gostariam de saber o que vai acontecer lá. Não citamos, fora do templo, as palavras da ordenança de selamento (casamento), mas podemos descrever a sala em que é realizada como sendo muito bonita, tendo um espírito sereno, tranqüilo e santificado pela obra sagrada que é ali realizada.

Antes de dirigir-se ao altar para a ordenança de selamento, o jovem casal ouve, do oficiante, palavras de conselho. Eis alguns pensamentos que poderão ser ouvidos por um jovem casal nessa ocasião:

"Hoje é o dia do seu casamento. Estão envolvidos pela emoção desta cerimônia. O templo foi construído como santuário para ordenanças como esta. Não estamos no mundo. As coisas do mundo não se aplicam aqui e não devem ter qualquer influência sobre aquilo que aqui fazemos. Saímos do mundo para entrar no templo do Senhor. Este se transforma no dia mais importante de sua vida.

Vocês nasceram convidados por pais que prepararam um tabernáculo mortal para a habitação de seu espírito. Ambos foram batizados. O batismo, ordenança sagrada, simboliza a limpeza, simboliza a morte e a ressurreição, simboliza o surgimento em novidade de vida. Ele inclui o arrependimento e a remissão dos pecados. O sacramento é uma renovação do convênio do batismo, e podemos, vivendo de acordo, conservar essa remissão de nossos pecados.

Você, noivo, foi ordenado ao sacerdócio. Primeiramente recebeu o Sacerdócio Aarônico e, provavelmente, progrediu em todos os ofícios do mesmo --- diácono, mestre e sacerdote. Depois foi considerado digno de receber o Sacerdócio de Melquisedeque. Esse sacerdócio, o sacerdócio maior, é definido como o sacerdócio segundo a santa ordem de Deus, ou o Santo Sacerdócio segundo a Ordem do Filho de Deus. (Ver Alma 13:18 e Helamã 8:18; D&C 107:2--4.) Foi-lhe dado um ofício no sacerdócio. Agora você é um élder.

Vocês dois receberam a investidura. Com ela, foram investidos de potencial eterno. Todas estas coisas foram, porém, em certo sentido, preliminares e preparatórias para sua vinda ao altar, para serem selados como marido e mulher para o tempo e a eternidade. Vocês, agora, tornaram-se uma família, livres para agir na criação de vida, tendo oportunidade, por meio de devoção e sacrifício, de trazer filhos ao mundo e de criá-los e guiá-los em segurança em sua existência mortal; de vê-los um dia, como vocês, participar das sagradas ordenanças do templo.

Vieram espontaneamente e foram julgados dignos. Aceitar um ao outro no convênio do casamento é uma grande responsabilidade que traz bênçãos inúmeras.""

Se desejamos compreender a história e a doutrina das ordenanças do templo, precisamos entender o que é o poder de selamento. Precisamos perceber, pelo menos até certo grau, por que as chaves de autoridade para empregar o poder de selamento são decisivas --- não apenas para a realização de ordenanças no templo, mas para todas as ordenanças em toda a Igreja no mundo inteiro.

O poder selador representa a delegação transcendente da autoridade espiritual de Deus ao homem. A pessoa que mantém esse poder selador é o representante principal do Senhor aqui na Terra, o Presidente da Igreja. É uma posição de confiança e autoridade supremas.

Como já foi dito, muitos dos ensinamentos relativos às coisas mais profundamente espirituais na Igreja, particularmente no templo, são simbólicos. Usamos a palavra chaves de maneira simbólica. Aqui as chaves da autoridade do sacerdócio representam os limites do poder dados por Deus ao homem mortal para agir em Seu nome aqui na Terra. As palavras selar, chaves e sacerdócio estão intimamente relacionadas.

As chaves do poder de selamento são sinônimas das chaves do sacerdócio eterno. "E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipo, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do Homem? (...) . .

E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.

Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligardes na terra será desligado nos céus". (Mateus 16:13--19)

Pedro viria a portar as chaves. Pedro viria deter o poder de selamento, essa autoridade que carrega o poder para ligar ou selar e desligar na Terra, sendo isto válido nos céus. Essas chaves pertencem ao Presidente da Igreja --- ao profeta, vidente e revelador. Esse poder selador sagrado está com a Igreja agora. Nada é objeto de uma contemplação mais sagrada por parte daqueles que conhecem o significado dessa autoridade. Nada é guardado mais cuidadosamente. O número de homens no mundo aos quais foi delegado este poder de selamento em qualquer época é relativamente pequeno. Em cada templo há irmãos que recebem esse poder. Ninguém pode recebê-lo, a não ser das mãos do profeta, vidente e revelador e Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Segue-se uma declaração clara a respeito do poder selador, como ligação de tudo o que fazemos para os vivos e para os mortos.

"Todas as vezes que a plenitude do evangelho se encontra no mundo, o Senhor tem agentes a quem dá poder para ligar na terra e selar eternamente nos céus. (Mateus 16:19; 18:18; Helamã 10:3--10; D&C 132:46--49) (...) . . .

Todas as coisas que não são seladas por esse poder têm fim quando os homens morrem. A menos que o batismo tenha esse selo duradouro, não será permitido que uma pessoa seja admitida no reino celestial; a menos que o convênio do casamento eterno seja selado por essa autoridade, não levará os participantes a uma exaltação no mais alto céu no mundo celestial.

Todas as coisas adquirem força duradoura e validade permanente por causa desse poder selador. Esse poder é tão abrangente que inclui ordenanças realizadas pelos vivos e pelos mortos, sela os filhos a seus antepassados que já se foram e forma correntes patriarcais permanentes que existirão eternamente entre seres exaltados." (Bruce R. MacConkie, Mormon Doctrine, 2ª ed. Bookcraft, 1966, p. 683.)

Na Igreja temos autoridade suficiente para realizar todas as ordenanças necessárias à redenção e exaltação de toda a família humana. E, tendo as chaves do poder selador, o que ligamos na devida ordem aqui na Terra, será ligado nos céus. Essas chaves --- as chaves para ligar e selar na Terra com validade nos céus --- representam o dom supremo de nosso Deus. Com essa autoridade podemos batizar e abençoar, investir e selar, e o Senhor honrará nossos compromissos.

Diz o Profeta Joseph Smith que lhe perguntavam freqüentemente: "Não podemos ser salvos sem receber todas essas ordenanças?" Eu respondo que não; não a plenitude da salvação. Jesus disse que há muitas moradas na casa de Seu Pai e que ia preparar-nos um lugar. A palavra casa aqui mencionada, deveria ser reino; e a pessoa que deseja ser exaltada à morada mais alta, precisa obedecer a uma lei celestial e a toda lei também. (History of the Church, 6:184)

quinta-feira, 23 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

domingo, 19 de julho de 2009

Ó Deus, Onde Estás?

Enquanto esteve aprisionado injustamente aqui (1838–1839), o Profeta Joseph Smith recebeu a revelação hoje registrada em Doutrina e Convênios 121–123.

Uma pequena prisão situada em Liberty, Missouri, Joseph Smith e cinco outros irmãos foram mantidos prisioneiros no seu interior, com paredes que mediam 1,2 metro de espessura, entre 1º de dezembro de 1838 e 6 de abril de 1839. (Sidney Rigdon foi libertado no final de fevereiro.) Confinados na parte inferior ou no calabouço do edifício, eles dormiram no chão com pouca luz e proteção insuficiente contra o frio do inverno.
Evento importante: O Profeta Joseph Smith, rogando pelos milhares de santos dos últimos dias sendo expulsos do Missouri, recebeu uma resposta à sua oração, a qual ele registrou em uma carta aos santos no exílio (D&C 121–123).



O Profeta É Confinado à Prisão
Pouco depois do massacre de Haun’s Mill, o Profeta Joseph Smith e outros líderes foram prisionados pela milícia do Estado.
Realizou-se uma corte marcial e o Profeta e seus companheiros foram condenados a fuzilamento, na manhã seguinte, por um esquadrão armado na praça da cidade de Far West. Entretanto, o General Alexander W. Doniphan, da milícia, recusou-se a executar essa ordem, chamando a decisão de “assassinato a sangue frio”, e advertiu o general que comandava a milícia com as seguintes palavras, caso continuasse intentando matar aqueles homens: “Eu o responsabilizarei diante de um tribunal, e que Deus me ajude”.
O Profeta e os outros líderes foram primeiro levados a Independence e depois a Richmond, Condado de Ray, onde foram postos na prisão enquanto esperavam o julgamento. Parley P. Pratt
era um dos que estavam com o Profeta. Ele disse que uma noite, os guardas estavam escarnecendo dos prisioneiros, contando-lhes sobre seus saques, assassinatos, estupros e roubos entre os santos dos últimos dias. Ele sabia que o Profeta estava acordado a seu lado e escreveu que Joseph se levantou de repente e repreendeu os guardas com grande poder:
“‘SILÊNCIO, demônios do abismo infernal. Em nome de Jesus Cristo, eu vos repreendo e ordeno que vos caleis; não ouvirei esse linguajar nem mais um minuto. Cessai vossa conversa, senão
morrereis ou morrerei eu NESTE INSTANTE!’
Ele parou de falar, permanecendo ereto em sublime majestade.
Acorrentado, desarmado, calmo, sereno e sério como um anjo, olhou para os guardas covardados, que deixaram as armas cair ou depositaram-nas no chão, e cujos joelhos tremiam. Encolhendo-se
num canto ou curvando-se tímida e humildemente, pediram perdão e permaneceram em silêncio até a troca dos guardas.”
Parley observou depois: “Tenho tentado imaginar reis, cortes reais, coroas e tronos, imperadores reunidos para decidirem o destino de reinos; mas dignidade e majestade vi apenas uma vez:
num homem acorrentado, à meia-noite, numa masmorra, numa obscura cidadezinha do Estado de Missouri”.24
Quando o interrogatório terminou, Joseph e Hyrum Smith, Sidney Rigdon, Lyman Wight, Caleb Baldwin e Alexander McRae foram enviados para a Cadeia de Liberty, no Condado de Clay, onde
chegaram em 1º de dezembro de 1838. O Profeta descreveu a situação da seguinte forma: “Estamos sob forte guarda, dia e noite, numa prisão de paredes e portas duplas, impedidos de exercer nossa liberdade de consciência, a comida é escassa. ( . . . ) Fomos obrigados a dormir no chão com palha e sem cobertores suficientes para nos manter aquecidos. ( . . . ) De tempos em tempos, os juízes diziam-nos saber que éramos inocentes e que devíamos ser libertados, mas não
se atreviam a fazer valer a lei por temerem a turba”

• Como podemos desenvolver a coragem necessária para enfrentar as situações difíceis? Citem algumas situações em que seja preciso ter coragem todos os dias.
(Fale de alguma ocasião em que eles ou alguém que conheçam agiram corajosamente para defender os princípios do evangelho.)

2. Amanda Smith socorre o filho, Alma, por meio de inspiração

O Massacre de Haun’s Mill (Moinho de Haun) Em 30 de outubro de 1838, três dias após a ordem de extermínio, cerca de 200 homens prepararam um ataque surpresa contra a pequena comunidade de santos de Haun’s Mill, em Shoal Creek, Condado de Caldwell. Os agressores, num ato de traição, mandaram que os homens que desejassem salvar a vida corressem para a ferraria. Depois, cercaram o local e atiraram até acharem que todos estavam mortos. Outros foram baleados quando tentavam escapar. Ao todo foram assassinados dezessete homens e meninos, e quinze ficaram feridos.

Após o massacre, Amanda Smith foi à ferraria, onde encontrou o marido, Warren, e o filho, Sardius, mortos. Em meio à carnificina, foi imensa a sua alegria ao encontrar o outro filho, o pequeno Alma, ainda vivo, embora gravemente ferido. O quadril do menino fora dilacerado por um tiro de mosquete. Com a maioria dos homens morto e ferida, Amanda ajoelhou-se e implorou a ajuda do Senhor:
“Oh, meu Pai Celestial, gritei, o que vou fazer? Estás vendo meu pobre menino ferido e sabes da minha inexperiência. Pai Celestial, mostra-me o que fazer!” Amanda disse que “[foi] dirigida como por uma voz”, que a instruiu a fazer uma lixívia com as cinzas e limpar o ferimento. Preparou, em seguida, um cataplasma de olmo e cobriu a ferida. No dia seguinte, derramou uma garrafa de bálsamo sobre o ferimento.
Amanda disse ao filho: “‘Alma, meu filho, ( . . . ) você acredita que o Senhor fez seu quadril?’”
‘Sim, mãe.’
‘Bem, o Senhor pode fazer alguma coisa no lugar do seu quadril, não acha, Alma?’
‘Acha que o Senhor pode fazer isso, mãe?’ perguntou o menino, com simplicidade.
‘Acho, meu filho’, repliquei eu, ‘Ele me mostrou tudo numa visão’.
Então, deitei-o confortavelmente de lado e disse: ‘Agora você vai ficar deitado desse jeito, e não se mova. O Senhor vai fazer-lhe um quadril novo’.
Assim, Alma permaneceu deitado de lado por cinco semanas, até ficar completamente restabelecido – no lugar onde faltava a junta e a cavidade onde se encaixa o osso, nasceu uma cartilagem flexível.”


. O Salvador compreende perfeitamente as nossas aflições e adversidades

“Como parte de Sua Expiação infinita, Jesus (…) assumiu os pecados, dores,
tristezas e, diz Jacó, as dores de todos os homens, mulheres e crianças. (Ver 2 Néfi
9:21.) Tendo sido perfeito em empatia, Jesus sabe como nos socorrer. Nada está
além de Seu poder redentor a abrangente empatia. Por isso, não nos devemos
queixar de que nossa vida não é um mar de rosas quando nos lembramos
Daquele que usou a coroa de espinhos!”
(A Liahona, julho de 1987, p. 72. Neal A. Maxwell, do Quórum dos Doze)




sábado, 18 de julho de 2009

Aula 27



1. A Cronologia do Missouri
Janeiro de 1831: Chegam os primeiros missionários ao Missouri.
Julho de 1831: O Senhor escolhe o Missouri como o lugar para a
construção da cidade de Sião.
Agosto de 1831: Joseph Smith dedica o terreno do templo em Independence, Missouri.
Julho de 1833: Uma turba ataca os membros da Igreja em Independence.
Novembro de 1833: Acontece a Batalha de Big Blue. Os membros da Igreja são expulsos do Condado de Jackson e vão para o Condado de Clay, no Missouri.
Maio a junho de 1834: O Acampamento de Sião marcha de Kirtland, em Ohio, para o Condado de Clay, no Missouri.
Junho de 1836: Os moradores do Condado de Clay pedem aos membros da Igreja que saiam dali.
Setembro de 1836: Os membros da Igreja começam a mudar-se para Far West, no Missouri, e outros lugares que vieram a constituir os condados de Caldwell e Daviess, no Missouri.
Março de 1838: Joseph Smith e a família chegam a Far West, no Missouri, depois de fugir das turbas de Kirtland, em Ohio.
Outubro de 1838: Acontece a Batalha do rio Crooked. O Governador Boggs, do Missouri, expede a ordem de extermínio.
Outubro de 1838 a abril de 1839: Joseph Smith e outros membros da Igreja são aprisionados no Missouri.
Abril de 1839: Os membros da Igreja fogem do Missouri e vão para Illinois.


2. As ordens que o Senhor deu aos santos que haviam sido expulsos Depois de os santos haverem sido expulsos do Condado de Jackson, o Senhor deu ordens específicas quanto ao que deveriam fazer. Sugere-se que você estude as seguintes instruções:
a. Buscar a redenção de Sião. (D&C 101:43–62) Por meio da parábola desses versículos, o Senhor lembrou aos santos que fora a falta de obediência o que enfraquecera a situação em que se encontravam, permitindo que os inimigos os vencessem. Contudo, Ele garantiu que Sião
seria redimida no devido momento.
b. Continuar a empenhar-se na obra de coligação. (D&C 101:63–75)
apesar de o lugar central estar nas mãos dos inimigos, o Senhor deixou claro que os santos deveriam continuar a reunirem-se nos lugares que Ele indicasse (versículo 67).
Atualmente, esses lugares são as estacas de Sião em todo o mundo.
Temos de fazer com que nossas estacas sejam “lugares santos”. (D&C 101:21–22)
c. Buscar a compensação. (D&C 101:76–95) Os membros da Igreja receberam a ordem de pedirem formalmente que fossem ressarcidos e que se fizesse justiça.
A Constituição dos Estados Unidos garantia o direito de liberdade religiosa e de propriedade. Esses direitos foram violados no Estado do Missouri. Os santos seguiram o conselho do Senhor e recorreram às autoridades locais, estaduais e federais na tentativa de serem compensados. Não
conseguiram ajuda portanto, deixaram que o Senhor julgasse o caso e foram adiante.
d. Reivindicar os direitos de propriedade no Condado de Jackson. (D&C 101:96–101)

“Irmãos, alguns de vós estais zangados comigo, por não haverdes lutado em Missouri mas quero dizer-vos que o Senhor não desejava que lutásseis. Ele não poderia organizar Seu reino com doze homens para abrir as portas do evangelho para as nações da Terra, e com setenta homens, sob sua direção, para seguirem seus passos, a menos que os tirasse de um grupo de homens que tivessem oferecido a vida, e que tivessem feito um sacrifício tão grande quanto o de Abraão”.
(History of the Church, 2:182 - Joseph Smith)


segunda-feira, 29 de junho de 2009

ufffaaaa! Atualizei....

Queridos irmãos e irmãs perdoem-me por deixa de postar no blog, mas agora está atualizado...obrigada pelo carinho e prometo responder os pedidos por email!

Meu email: monteirofss@gmail.com

Liçao 24

lição 24

“Buscai Conhecimento, Sim, pelo Estudo e também pela Fé” Lição 23

Nesta dispensação, o Senhor salientou bastante a necessidade de estudarmos as coisas seculares e as espirituais.
O Senhor instruiu o Profeta Joseph Smith a fundar a Escola dos Profetas, em Kirtland, Ohio. Essa escola começou a funcionar em janeiro de 1833, em uma salinha no andar superior da loja de Newel K. Whitney, em Kirtland. (Ver a figura da página 128.) Ali, os líderes da Igreja aprendiam a doutrina do evangelho, os assuntos da Igreja e outras matérias. Eles deviam preparar-se para liderarem a Igreja e servirem como missionários. (D&C 88:77–80)
Essas reuniões prepararam o terreno para que tivessem experiências espirituais e discutissem a fundo os princípios do evangelho. Houve várias revelações. Consta nos registros de história da Igreja que “o semblante das pessoas que freqüentavam a Escola dos Profetas e dos membros da Igreja sempre irradiava grande alegria devido ao que era revelado e (…) ao fato de que seu conhecimento das coisas de Deus aumentava”. (History of the Church, 1:334)
• Que oportunidades de aprendizado temos na Igreja?
O que podemos fazer para nos prepararmos melhor para aprender nas reuniões da Igreja?

O Presidente Marion G. Romney, da Primeira Presidência disse: Acredito no
estudo. Acredito que os homens aprendam muito estudando. (…) Entretanto,
também acredito e sei que a fé acelera muito o aprendizado por meio do
estudo”. [Learning for the Eternities, George J. Romney (org.), 1977, p.72.]


O Presidente Gordon B. Hinckley ensinou aos jovens o valor da educação: “É
muito importante que todo rapaz e toda moça estudem o máximo que
puderem. O Senhor disse de modo bem claro que Seu povo devia adquirir
conhecimento de países e reinos e das coisas do mundo pelos estudos, sim,
pelo estudo e também pela fé. A educação é a chave que irá abrir as portas da
oportunidade para vocês. Ela vale todo o sacrifício que fizerem. Vale a pena
esforçarem-se para adquiri-la. Se educarem a mente e as mãos, vocês serão
capazes de fazer uma grande contribuição para a sociedade de que fazem parte
e poderão ser um bom exemplo e honrar a Igreja a que pertencem. Meus
queridos jovens irmãos e irmãs, aproveitem todas as oportunidade
educacionais a que tiverem acesso. E vocês, pais e mães, incentivem seus filhos
e filhas a adquirirem uma educação que irá abençoar-lhes a vida.”
(“Pensamentos Inspiradores”, A Liahona, junho de 1999, pp. 4–5.)

Quando era membro do Quórum dos Doze, o Élder Gordon B. Hinckley
salientou a importância de incentivar as crianças a ler: “Vocês sabem que os
seus filhos lerão. Eles lerão livros, revistas e jornais. Cultive neles o gosto pelo
que houver de melhor. Enquanto são pequenos, leia para eles as histórias que
se tornaram imortais devido às virtudes que ensinam. Coloquem-nos em
contato com os bons livros; façam com que em sua casa haja um canto, ainda
que pequeno, em que vejam ao menos alguns dos livros que tenham nutrido a
mente dos grandes pensadores”. [Conference Report (Relatório da Conferência
Geral), outubro de 1975, p. 57; ou Ensign, novembro de 1975, p.39.]
O Presidente Thomas S. Monson lembrou-nos que as crianças compreendem os
ensinamentos das escrituras: “[Uma das características] de um lar feliz se
descobre quando ele se torna uma biblioteca de aprendizagem. (…) O Senhor
aconselha: ‘(…) Nos melhores livros buscai palavras de sabedoria; procurai
conhecimento, sim, pelo estudo e também pela fé”. (D&C 88:118) As obraspadrão
oferecem a biblioteca de aprendizagem da qual falo. Devemos ter o
cuidado de não subestimar a capacidade infantil de ler e entender a palavra de
Deus”. (A Liahona, janeiro de 1989, pp. 73–74.)

4. O que aprendemos no templo é para a eternidade.

Planta Do Templo
O Élder John A. Widtsoe, do Quórum dos Doze, ensinou: “O templo é um lugar
de ensino. Ali, ensinam-se os princípios do evangelho e revelam-se verdades
importantes do reino de Deus. Caso entremos no templo com o espírito certo e
prestemos atenção, teremos mais conhecimento do evangelho e sabedoria ao
sair”. (“Looking toward the Temple”. Ensign, janeiro de 1972, pp. 56–57.)
O Élder Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze, disse:
“O templo é uma grande escola. É uma casa de instrução. A atmosfera mantida
ali é ideal para o aprendizado de questões profundamente espirituais. (…)
A cerimônia do templo não será plenamente compreendida da primeira vez.
Será apenas parcialmente captada. Voltem muitas e muitas vezes. Voltem para
aprender. Coisas que nos vêm perturbando , que nos deixam perplexos ou que
nos parecem misteriosas se tornam claras. Muitas delas são aquelas coisas
pessoais, silenciosas, que realmente não podemos explicar a mais ninguém.
Mas para nós passam a ser conhecidas. (…)
Portanto, voltem os olhos para o templo. Guiem seus filhos em direção ao
templo. Desde a infância, chamem a atenção deles para o templo santo,
iniciando a preparação para o dia em que nele entrarem.
Nesse ínterim, estejam sempre dispostos a aprender, sejam reverentes.
Aproveitem [bem] os ensinamentos—simbólicos e intensamente espirituais –
encontrados somente no templo. (O Templo Sagrado, Folheto, 1980, pp. 6, 7, 8.)

A Palavra de Sabedoria: “[Um] Princípio com Promessa”

“Lembro-me do que um bispo me contou acerca de uma mulher que pretendia [receber] uma recomendação para o templo. Ao perguntar-lhe se observava a Palavra de Sabedoria, [ela] respondeu que vez por outra tomava uma xícara de café, e disse: ‘Ora, bispo, não vai deixar que isso me impeça de ir ao templo, não é?’, ao que o bispo replicou: ‘Irmã, certamente a senhora não vai permitir que uma xícara de café se interponha entre a irmã e a Casa do Senhor.’”(A Liahona,
julho de 1990, p. 60.)
A Palavra de Sabedoria é uma lei simples e direta. Muitas pessoas sabem dos perigos decorrentes da desobediência a essa lei. É importante que nos lembremos dessas conseqüências, mas também é importante que nos lembremos das bênçãos físicas e espirituais que receberemos se obedecermos à Palavra de Sabedoria.

Esta lição aborda essas promessas.

Prepare-se pra estudar:

Não são para o corpo

a. D&C 89:5–7. (Vinho ou bebidas fortes.)
b. D&C 89:8. (Fumo.)
c. D&C 89:9. (Bebidas quentes, que são o chá preto e o café.)
Além dessas substâncias, não devemos:
a. Utilizar nada que contenha drogas ilegais.
b. Utilizar nada que contenha substâncias que viciem, exceto sob a orientação de um médico competente.
c. Fazer mal uso de medicamentos que nos forem receitados nem de outros remédios ou drogas

A Primeira Presidência declarou: “Embebedando-se com bebidas fortes os homens perdem a razão. Perdem o raciocínio, a capacidade de julgar e a visão.
(…) A bebida já causou mais sofrimento, miséria e mágoas, já fez com que mais lares se desfizessem, já cometeu mais crimes e causou mais mortes do que todas as guerras que já houve no mundo”. [Conference Report (Relatório da Conferência Geral), outubro de 1942, p. 8.]

Bom para o corpo

a. D&C 89:10. (Ervas salutares: verduras, legumes e outras plantas comestíveis.)
b. D&C 89:11. (As frutas.)
c. D&C 89:12; ver também D&C 49:19. (A carne de animais e das aves.)
d. D&C 89:14–17. (Os grãos.)
e. D&C 88:124. (Dormir cedo e acordar cedo: dormir o necessário.)

O Senhor revelou a Palavra de Sabedoria como sendo “um princípio com promessa”. (D&C 89:3)

Bênçãos Prometidas

a. D&C 89:18. (Saúde física.)
b. D&C 89:19. (Sabedoria e grandes tesouros de conhecimento.)
c. D&C 89:20. (A capacidade de correr e não se cansar, andar e não desfalecer.)
d. D&C 89:21. (Proteção contra o anjo destruidor.)

Na antigüidade, pouco antes do êxodo dos filhos de Israel do Egito, o anjo destruidor poupou os primogênitos dos israelitas por que o povo havia obedecido ao profeta Moisés e marcado as portas com sangue de cordeiro.
(Êxodo 12) Da mesma forma, se obedecermos aos mandamentos, inclusive à Palavra de Sabedoria, o anjo destruidor haverá de poupar-nos, ou seja, seremos salvos da morte espiritual e abençoados com a vida eterna, por intermédio da Expiação de Jesus Cristo. (Ver Boyd K. Packer, A Liahona, julho de 1996, p. 19.)

Aula 21


Prepare o necessário para que os alunos cantem “Tão Humilde ao Nascer”
(Hinos, nº 115); ou peça a um aluno, ou grupo de alunos, que se prepare para cantá-lo!

O nascimento e a Segunda Vinda de Jesus são dois dos
acontecimentos mais gloriosos da história do mundo. Da primeira vez que veio à
Terra, o Salvador o fez em condições humildes e não foi amplamente reconhecido
como sendo o Messias. Contudo, quando voltar, virá com poder e grande glória.
Esta lição trata da Segunda Vinda do Salvador e de Seu reinado milenar na Terra.

Estude:
a. D&C 29:9–11; 45:44. (Cristo virá à Terra com poder e glória. Os orgulhosos e os
iníquos serão queimados e não haverá maldades na Terra.)
b. D&C 34:7, 12; 43:17; 110:16. (A Segunda Vinda está próxima.)
c. D&C 34:8, 11; 63:34. (Todas as nações tremerão quando o Salvador vier. Se
formos fiéis, Seu poder e influência estarão conosco até que Ele venha.)
d. D&C 45:45–54; 88:96–99. (Os membros da Igreja que estiverem mortos
ressuscitarão e irão ao encontro do Salvador. Os membros da Igreja que
estiverem vivos na Terra se reunirão para encontrá-Lo. Ele irá ao Monte das
Oliveiras, que se partirá. Os judeus reconhecerão o seu Salvador e chorarão por
haverem-No perseguido. Depois, quem tiver recebido o evangelho na prisão
espiritual ressuscitará.)
e. D&C 49:6. (O Salvador porá todos os inimigos sob os Seus pés.)
f. D&C 49:7. (Ninguém, nem mesmo os anjos, sabe a hora e o dia da vinda do
Salvador.)
g. D&C 133:46–53. (O Salvador virá vestido de vermelho. Na ocasião de Sua
vinda recairá a vingança sobre os iníquos e os justos serão redimidos.)

a. D&C 101:23. (Todos conseguirão ver o Salvador.)
b. D&C 101:24.(Todos os iníquos serão destruídos.)
c. D&C 101:25. (A Terra será renovada.)
d. D&C 101:26. (As pessoas e os animais viverão em paz.)
e. D&C 101:27. (Os desejos justos das pessoas serão realizados.)
f. D&C 101:28; ver também D&C 45:55; 88:110. (Satanás será preso e não terá
poder para tentar ninguém.)
g. D&C 101:29. (Não haverá tristeza nem morte.)
h. D&C 101:30–31. (As pessoas envelhecerão e, depois, passarão por uma
mudança repentina da mortalidade para a imortalidade.)
i. D&C 101:32–34. (O Senhor revelará todas as coisas concernentes à Terra e ao
Céu, inclusive o processo de criação da Terra e o que será feito dela.)
j. D&C 45:58. (As crianças crescerão sem cometer pecados.)
k. D&C 45:59; 133:25. (O Senhor será o rei e o legislador de toda a Terra.)

Sinais Positivos
a. D&C 45:9; 133:57–58. (A plenitude do evangelho será restaurada.)
b. D&C 45:66–71. (A construção da Nova Jerusalém, que será um lugar em que
os justos terão paz e segurança nos últimos dias.)
c. D&C 65:2–6. (O reino de Deus será estabelecido na Terra.)
d. D&C 110:11–16. (As chaves do sacerdócio serão restauradas.)
e. D&C 133:8–9, 36–39. (O evangelho será pregado em todo o mundo.)
Sinais Negativos
a. D&C 29:15; 88:91. (Haverá muito pranto, desespero e medo. O coração dos
homens falhará.)
b. D&C 29:16; 45:31; 112:24. (Haverá fome, castigos, doenças e destruição.)
c. D&C 34:9; 45:40–42; 88:87. (Haverá sinais e maravilhas no céu e na Terra.)
d. D&C 45:26; 63:33. (Haverá guerras, rumores de guerra e agitações em toda a
Terra.)
e. D&C 45:27. (O amor dos homens esfriará e haverá muita iniqüidade.)
f. D&C 45:33; 88:89–90. (Haverá terremotos, tempestades e ondas enormes no
mar. Os homens endurecerão o coração contra Deus e lutarão entre si.)

a. D&C 27:15; 33:17. (Ser constante na retidão.)
b. D&C 34:6; 39:19–20; 43:20–23. (Proclamar o arrependimento e arrepender-se.)
Por que o arrependimento é importante na preparação para a Segunda Vinda?
c. D&C 45:32; 87:8; 101:22–23. (Permanecer em lugares santos.) O que significa
“[permanecer] em lugares santos”? Citem alguns desses lugares. (Algumas das
respostas possíveis são: os nossos templos, capelas, nossa casa e as estacas de
Sião.) O que podemos fazer para nos mantermos dignos e santos até quando
estivermos em ambientes do mundo?
d. D&C 45:56–57. (Fazer do Espírito Santo o nosso guia.)


O Élder Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze, deu o seguinte conselho:
“Os adolescentes também tendem, às vezes, a pensar: ‘Que adianta? O mundo
logo explodirá mesmo e acabará’. Esse é um pensamento que vem do medo, não
da fé. Ninguém sabe a hora nem o dia, (ver D&C 49:7) mas o fim não virá até que
sejam cumpridos todos os propósitos do Senhor. Tudo o que tenho aprendido das
revelações e da vida convence-me de que há tempo, e de sobra, para que se
preparem cuidadosamente para uma vida longa.
Um dia, vocês terão de lidar com os seus próprios filhos adolescentes. Nada mais
justo. Depois, mimarão os netos, e eles, por sua vez, mimarão os deles. Se alguém
for atingido por um fim mais prematuro, eis mais uma razão para fazer as coisas
certas. (A Liahona, julho de 1989, p. 64.)

aula 20... Os reinos de Glória

aula20

aula 19 O plano de salvação

O Plano de Salvação- ajuda pra aula 19

Estabelei uma Casa de Deus! Aula18

Quantos Templos o Povo Do Senhor Construiu Antes

Aula 17

aula17

domingo, 19 de abril de 2009

DVD


DVD de apresentações de Doutrina e Convênios e História da Igreja: para uso nas aulas de doutrina do evangelho da escola dominical dos jovens e Adultos contém 15 vídeos curtos relativos à história da igreja e aos ensinamentos encontrados em doutrina e convênios. Ele pode ser usado como complemento das aulas de doutrina e convênios, das noites familiares e do estudo individual.


Professores aproveite esta maravilha!!!!

Nº 54075 090


Vocês tb podem baixar no site oficial da igreja:(clique aqui) vídeos da igreja

um abraço....

aula 15

aula15

domingo, 22 de março de 2009

domingo, 15 de março de 2009

Aula 11

`Primeiros Missionários!

Assim que o evangelho foi restaurado, a Igreja deu início a um intenso trabalho missionário para divulgar as boas-novas em todo o mundo. Muitos recém-conversos aceitaram entusiasmados o chamado para serem missionários. Um deles foi Samuel, irmão de Joseph Smith.
Em abril de 1830, Samuel Smith começou a percorrer as cidades vizinhas, no Estado de Nova York, para pregar o evangelho e apresentar o Livro de Mórmon às pessoas. Ele não foi muito bem-sucedido, mas conseguiu vender um exemplar do livro a um homem chamado Phineas Young. Em junho de 1830, Samuel foi designado por Joseph Smith para fazer uma viagem missionária ao Leste dos Estados Unidos. Ele percorreu 25 milhas (aproximadamente 40 quilômetros) a pé no primeiro dia e parou em várias casas, mas foi tratado com rudeza e não foi
ouvido. No dia seguinte, deixou um exemplar do Livro de Mórmon com John P. Greene, que era pastor metodista. Rhoda, mulher de John Greene, era irmã de Phineas Young.
Samuel foi rejeitado por quase todas as pessoas com quem falou e ficou com a sensação de que sua missão não fora muito bem-sucedida. Entretanto, o livro que deixou com Phineas e o que deixou com John P. Greene levaram-nos à conversão, bem como muitas outras pessoas. Por exemplo, Phineas Young e Rhoda Greene tinham um irmão chamado Brigham, que se converteu e veio a ser o segundo Presidente da Igreja. Heber C. Kimball, que era amigo de Brigham
Young, também se filiou à Igreja e, posteriormente, fez parte da Primeira Presidência. Tanto Brigham Young como Heber C. Kimball serviram como instrumento para a conversão de milhares de pessoas nos Estados Unidos e na Inglaterra.
Esta aula fala de algumas revelações fundamentais que o Senhor fez com relação ao trabalho em Seu reino, principalmente o trabalho de proclamação do evangelho.

Pondere sobre:

1. “[Servi-O] de todo o coração, poder, mente e força”
2. Preparem-se para servir ao Senhor.
3. “O campo está branco.”
4. “Abri vossa boca e ela encher-se-á.”
5. O Senhor promete bênçãos grandiosas a quem trabalhar a Seu serviço.

Pesquise:
Leia D&C 4:1–2;
D&C 4:3; 11:8.;
D&C 4:5–6; 12:8; 18:19.
• Leia D&C 11:21
D&C 4:4, 11:3 e 33: 3
D&C 60:13; 75:3
D&C 11:9, 15:6, 18:6, 31:3–4,
33:10–11, 42:12 e 52:8–9.
D&C 4:4; 11:3; 75:5.

AQUI tem COLINHA!

1. Ensinamentos repetidos Peça aos alunos que abram quatro seções diferentes: D&C 6, 11, 12 e 14. Peça a uma pessoa que leia os primeiros seis versículos de qualquer dessas seções e peça
às outras que acompanhem a leitura na seção em que abriram. Diga que o Senhor repete muitas instruções nas escrituras e que, muitas vezes, o faz palavra por palavra.
• O que podemos aprender com o fato de o Senhor repetir essas instruções? Por que é importante que as compreendamos atualmente?
2. “Procura trazer à luz e estabelecer a causa de Sião” (D&C 6:6)
• O Senhor admoestou os Seus servos muitas vezes a procurar “trazer à luz e estabelecer a causa de Sião”. (D&C 6:6; 11:6; 12:6; 14:6) Como podemos ajudar a estabelecer a causa de Sião? (Algumas das respostas podem ser: vivendo retamente e edificando o reino de Deus em nossa casa, estaca e ala, por intermédio da obra missionária e do trabalho no templo.)
Citem algumas coisas que possam desviar a nossa atenção do estabelecimento da causa de Sião.



Primeiros Missionários

quinta-feira, 5 de março de 2009

Tem um Presente pra Vocês!


Olá alunos e professores da Escola dominical!

Eu preparei este selinho pra vcs!
Podem pegar a vontade
Obrigada pelo carinho
bjus


quarta-feira, 4 de março de 2009

Lição 10


“Esta É Minha Voz para Todos”


Em julho de 1830, o Senhor fez uma revelação em que Se dirigia a Emma Smith, a mulher do profeta Joseph Smith. (D&C 25)

Muitas das revelações de Doutrina e Convênios foram feitas a uma pessoa especificamente. Apesar dessas revelações darem conselhos específicos para essas pessoas e apesar delas terem vivido há muitos anos, a maioria dos conselhos é válida para nós atualmente. O Senhor disse diversas vezes: “O que digo a um digo a todos”. (D&C 61:36; ver também D&C 25:16; 82:5; 93:49.)


Bom Estudo irmãos.

Lição 10 Curso Doutrina e Convênios - Escola Dominical

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Aula 7


Esta lição trata dos primeiros princípios e ordenanças do evangelho.
Por intermédio da fé, arrependimento e do dom do Espírito Santo, tornamo-nos mais capazes de ver o nosso caminho e objetivo eternos ainda na mortalidade.

Pontos a ponderar:
• O que significa ter fé em Jesus Cristo? Por que é importante que concentremos
a nossa fé em Jesus Cristo?

Leia D&C 8:10 . O que podemos realizar quando não temos fé?
O que podemos realizar quando temos fé?

O que é o arrependimento?
• Qual é a diferença entre arrepender-se verdadeiramente e meramente eliminar um mau-hábito ou a modificar um tipo de comportamento?

Por que, às vezes, temos dificuldade de perdoar a nós mesmos ou outras pessoas, apesar do Senhor ter prometido que nos perdoaria?

A fé e o arrependimento levam ao batismo, que é a primeira ordenança do evangelho.
Leia D&C 20:37 - Que exigências precisam ser cumpridas para que alguém seja batizado?

Por que é preciso que o batismo seja realizado por alguém que tenha a devida autoridade? (Ver D&C 22.)
O Espírito Santo é um dos membros da Trindade e que é “um personagem de Espírito”. (D&C 130:22)
Qual é a diferença entre o poder do Espírito Santo e o dom do Espírito Santo?

O fato de recebermos o dom do Espírito Santo não garante automaticamente que o Espírito Santo esteja sempre conosco. O que temos de fazer para que o Espírito Santo esteja conosco continuamente?

O Presidente Joseph Fielding Smith disse: “O Espírito Santo não ficará com uma pessoa que não esteja disposta a obedecer e guardar os mandamentos de Deus ou que viole os mandamentos intencionalmente. (Church News, 4 de novembro de 1961, p. 14.)



Como Enriquecer Seu Estudo de Doutrina e Convênios

1- Ler Doutrina e Convênios de Capa a Capa.

Em seu estudo diário das escrituras, seria útil que você reservasse um ou dois dias de cada Semana para estudar especificamente o que será abordado em classe e depois continuasse sua leitura de Doutrina e Convênios do princípio ao fim.

2-Ler Tendo Perguntas em Mente

Ler com perguntas específicas na mente convida o Senhor a inspirar-nos e orientar-nos em nossos desafios e oportunidades. Você pode escrever as perguntas para incluí-las em
espírito de oração em seu estudo das escrituras. Ao receber respostas, talvez você sinta-se inspirado a compartilhar esse conhecimento na Escola Dominical.

3-Procurar Relações, Padrões e Temas

Um exemplo de relação em Doutrina e Convênios é o vínculo existente entre nossa obediência e as bênçãos prometidas.
Um padrão de Doutrina e Convênios encontra-se na própria natureza do livro. Como explica a
introdução: “Estas revelações sagradas foram recebidas em resposta a orações, em momentos de necessidade, e resultaram de situações da vida de pessoas reais”
Um dos temas mais comuns em todas as escrituras é “procurai-me diligentemente e achar-me-eis; pedi e recebereis; batei e ser-vos-á aberto” (D&C 88:63).





4-Procurar Ser Edificados e Regozijar-nos

O Senhor disse que quando os membros da Igreja aprendem e ensinam uns aos outros pelo Espírito, “ambos são edificados e juntos se regozijam” (D&C 50:22).

5- Um Convite Pessoal
Ao estudarmos Doutrina e Convênios e aprendermos com esse livro durante o ano, nossa fé no Pai Celestial e Jesus Cristo será fortalecida e nosso testemunho de que Joseph Smith foi o profeta de Deus na Restauração aumentará. O Senhor abrirá nosso entendimento, e as escrituras se tornarão uma parte ainda mais importante de nossa vida.

No início deste novo ano, convidamos vocês a regozijarem-se conosco ao “[examinar] estes mandamentos, porque são verdadeiros e fiéis; e as profecias e as promessas neles contidas serão todas cumpridas” (D&C 1:37).

Aliahona de janeiro de 2009, pgs 11-13.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Marcador!


Este marcador é muito interessante!
Achei no blog Bagunça organizada, e acho que será muito útil para todos nós....
obrigada Camilla e Janaina. bjus

MARCADOR

SEJAM MUITO BEM VINDOS!


O curso de estudo deste ano é Doutrina e Convênios e história da Igreja. O livro de Doutrina e Convênios é uma coletânea de profecias, visões mandamentos e ensinamentos transmitidos por intermédio do Profeta Joseph Smith e de alguns de seus sucessores na Presidência da Igreja. O Profeta falou deste livro de escrituras como sendo “O alicerce da Igreja nestes últimos dias e um benefício para o mundo, mostrando que as chaves dos mistérios do reino de nosso Salvador foram novamente confiadas ao homem”. (Cabeçalho de D&C 70).
As revelações contidas nesse livro estão intimamente ligadas à história da Igreja, pois foram recebidas “em resposta a orações, em momentos de necessidade, e resultaram de situações da vida de pessoas reais”.(Introdução de Doutrina e Convênios.)

O Objetivo deste BLOG:
Ajudar os alunos a serem gratos pelo passado, fortalecerem-se para o presente e terem esperanças no futuro.
Gordon B. Hinckley declarou:
“Quão glorioso é o passado desta causa. Ele está repleto de heroísmo, coragem, valentia e fé. Quão maravilhoso é o presente, ao abençoarmos a vida de pessoas, onde quer que ouçam a mensagem dos servos do Senhor. Quão magnífico será o futuro à medida que o Todo-Poderoso prosseguir Seu glorioso trabalho, influenciando positivamente todos os que aceitarem e viverem Seu evangelho, abençoando eternamente Seus filhos e filhas de todas as gerações por meio do
trabalho altruísta daqueles cujo coração está cheio e amor pelo Redentor do mundo.” (A Liahona, janeiro de 1996, pp. 78–79.)

Ajudar os professores: Ao preparar-se para ensinar o evangelho, é importante que você busque a inspiração e orientação do Espírito Santo. “O Espírito ser-vos-á dado pela oração da fé”, disse o Senhor, “e se não receberdes o Espírito, não ensinareis”. (D&C 42:14) Lembre-se de que o Espírito Santo deve ser o professor de sua classe.

O Élder Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze, ensinou: “A verdadeira doutrina, quando compreendida, modifica as atitudes e o comportamento”. (A Liahona, janeiro de 1987, pp. 17–18.

Podemos colocar idéias também de como inventivamos nossos alunos a estudarem as designações.
Sejam muito bem vindos!


Related Posts with Thumbnails